Início > Blog > Quais são as diferenças entre animais silvestres e domésticos?

Quais são as diferenças entre animais silvestres e domésticos?

Quais são as diferenças entre animais silvestres e domésticos

Você já parou para pensar nos motivos que nos levam a ter gatinhos de estimação, mas não leões em casa? No fim das contas, os dois são felinos, certo? Pode parecer uma pergunta “boba”, mas os desdobramentos dessa reflexão são bem interessantes.

A verdade é que existem muitas diferenças entre animais silvestres e domésticos, mesmo aqueles de espécies próximas. O que define e separa eles é a relação que possuem com os seres humanos.

Essa, porém, é uma conclusão um pouco simplista. A fim de nos aprofundarmos em todas as características específicas dos animais silvestres e dos domésticos, neste texto nós selecionamos os 8 principais elementos que diferenciam os dois grupos!

Você está no blog da Rede DOK. Nossos hospitais veterinários contam com os profissionais mais qualificados para tratar bem dos animais silvestres e domésticos. A nossa missão é transformar amor em cuidado!

Entenda as diferenças entre animais silvestres e domésticos

De uma forma bem resumida, podemos considerar os animais silvestres como aqueles que vivem livremente na natureza sem a interferência humana, eles são selvagens. Domésticos, por sua vez, são aqueles que, ao longo da história, tiveram uma aproximação com os seres humanos.

Esta acima já é uma boa forma de entender as diferenças entre animais silvestres e domésticos. Porém, elas não param por aí. Abaixo vamos explicar melhor!

Onde vivem

A primeira diferença entre estes animais é o local onde vivem. Como sabemos, os domésticos convivem com os seres humanos, seja na cidade ou no campo. Os silvestres, por outro lado, possuem uma multiplicidade de habitats.

Alguns animais silvestres só existem em determinadas regiões do planeta, enquanto os domésticos podem ser encontrados ao redor do globo. Embora algumas raças de cães e gatos sejam mais comuns em determinados países, eles não são restritos a um único local.

 

Como se alimentam

Considerando que animais silvestres vivem separados dos seres humanos (na maioria dos casos), é fácil determinar que eles conseguem seu alimento por conta própria. Sejam herbívoros ou carnívoros, os bichos que vivem na natureza caçam suas próprias comidas.

Os animais domésticos precisam de nosso cuidado. Embora eles sejam capazes de encontrar comida, o meio onde vivem dificulta essa tarefa. Uma floresta tem opções de plantas, insetos e outros bichos para servir de alimento, o que é diferente nas cidades.

Legislação

Não dá para falar quais são as diferenças entre animais silvestres e domésticos sem comentar a legislação.

Como todos sabem, maltratar animais domésticos é crime. Apesar da legislação que determina alguns comportamentos incorretos no trato com pets, é possível afirmar que não existem muitas leis relacionadas a eles. Desde que sejam bem cuidados, não há problema.

O mesmo não pode ser dito dos animais silvestres. A compra e a posse desses bichos é bastante restrita, sujeita à fiscalização rigorosa de órgãos responsáveis (como o IBAMA) e adequação do meio para que o bicho tenha uma vida equivalente àquela da natureza.

 

Comportamento

Mesmo quando consideramos os diferentes tipos de personalidades dos animais domésticos, ainda conseguimos encaixá-los em algumas descrições de personalidade semelhantes. Quando bem tratados e na presença de pessoas em quem confiam, os pets são mansos.

Essa característica os coloca em direta oposição aos animais silvestres. Embora boa parte deles não seja agressiva, o seu comportamento é imprevisível. Isso acontece porque eles não estão acostumados com a nossa presença, o que faz com que tentem se defender.

Reprodução

A reprodução faz parte do instinto animal. Quando livres de interferências humanas, como é o caso dos animais silvestres, eles se reproduzem quando as condições são propícias para isso. Não existe preocupação com o destino dos filhotes ou outros fatores relacionados.

Por estarem sob a tutela dos seres humanos, animais domésticos têm sua reprodução controlada. É inclusive recomendado por profissionais da medicina veterinária que tutores castrem os seus pets a fim de evitar diversas doenças e a reprodução indesejada.

 

Relação com outros animais

Não é incomum que cachorros fiquem tranquilamente na companhia dos outros. Mais ainda, é possível que eles tenham relações amigáveis com outros pets como gatos ou pássaros. Tudo depende da personalidade dos bichos, é claro, mas é algo possível. Este é outro comportamento que precisa ser destacado nas diferenças entre animais silvestres e domésticos.

Animais silvestres têm relações diferentes, tanto entre os seus, quanto na interação com outras espécies. Esse convívio costuma ser definido pelo meio e por seus instintos, o que significa que é muito mais difícil fazer eles adaptarem-se à uma vida coletiva.

Cuidados com a saúde

Considerando todos os itens anteriores, é fácil perceber que existem muitos fatores externos interferindo na vida de animais silvestres e dos domésticos. Esses elementos não são necessariamente “bons” ou “ruins”, mas têm impacto direto na saúde e no seu tempo de vida.

Por viverem longe da presença humana, animais silvestres só têm contato com cuidados veterinários quando residem em zoológicos ou instituições relacionadas. Ao contrário deles, os domésticos são rotineiramente cuidados por profissionais da saúde.

Relação com seres humanos

Por fim, nas nossas explicações sobre quais são as diferenças entre animais silvestres e domésticos, precisamos falar sobre aquela característica que é responsável por delimitá-los: a relação com seres humanos. A própria descrição “doméstico” remete à domicílio, lar e morada.

De maneira geral, se um animal está inerentemente acostumado à presença humana e pode ter uma vida como bicho de estimação, ele é considerado doméstico. Mais do que criaturas que aceitam nossa presença, os pets são uma fonte inesgotável de carinho e afeto.

Por outro lado, os silvestres não conseguem se adaptar ao convívio dentro de ambientes humanos.

Você ama seu pet, nós amamos cuidar dele! Por isso, conte sempre com os melhores veterinários para preservar a saúde da sua companheira!

Aqui no DOK temos profissionais de diversas especialidades, dentre elas:

Anestesia veterinária

Nutrição animal

Medicina de felinos

Confira outras postagens

Você já cuidou dos olhos do seu pet hoje? Conheça a importância da Oftalmologia

A saúde ocular dos animais de estimação é frequentemente negligenciada, pois muitos deles, mesmo cegos de um olho, não demonstram sinais visíveis e se adaptam bem ao ambiente. Por isso, é comum que tutores não percebam a cegueira parcial ou outros problemas oculares em seus pets. Importância da consulta Oftalmológica Consultas oftalmológicas regulares são essenciais […]

LER MATÉRIA

Dilofilariose Canina: Conheça os sintomas, tratamentos e prevenção!

A Dilofilariose Canina é um verme que se aloja no coração dos cães parasitados. Os parasitas formam grumos, levando ao aumento da câmara cardíaca do animal, resultando em um problema cardíaco. Como acontece a infecção? Assim como a maioria dos filarídeos, os membros desse gênero necessitam de hospedeiro intermediário artrópode (mosquitos) para a realização do […]

LER MATÉRIA

Hemodiálise para pets? Vem saber mais!

A medicina veterinária tem registrado avanços nos últimos anos, e os tratamentos inovadores para diversas condições têm proporcionado cada vez mais qualidade de vida aos pacientes pets. Um desses progressos é a hemodiálise. Mas o que é Hemodiálise? Os rins funcionam como um filtro natural do corpo, eliminando substâncias indesejadas e regulando os níveis de […]

LER MATÉRIA