Início > Blog > Como saber se o gato está com depressão? Veja como identificar!

Como saber se o gato está com depressão? Veja como identificar!

Como saber se o gato esta com depressão

Quando falamos sobre as múltiplas ciências que cuidam da saúde humana, é possível fazer uma divisão entre aquelas dedicadas ao corpo e aquelas direcionadas à mente. Enquanto as primeiras se preocupam em lidar com o nosso físico, as outras abordam o lado psicológico.

Na área veterinária existe a mesma divisão. Da preocupação com a saúde mental dos animais faz surgir a seguinte dúvida: como saber se o gato está com depressão? É isso que vamos abordar nesse texto!

Na medicina veterinária, algumas partes podem ser um pouco mais complexas. Embora humanos e animais compartilhem muitas condições físicas de saúde, o psicológico dos bichos é completamente diferente do nosso, com variações existindo até em uma mesma espécie.

Considerando essa realidade, estudos sobre doenças psicológicas em bichos são um tópico de discussão contínua entre especialistas na veterinária. A depressão, por exemplo, é uma condição cujas características típicas foram observadas em animais domésticos.

Embora estudos sobre a doença em cães, gatos e outros animais ainda não tragam resultados absolutos, é consenso entre os profissionais da medicina veterinária que os bichinhos podem apresentar vários sintomas. Nesses casos, como podemos perceber a condição?

Como saber se o gato está com depressão? Esteja atento!

Uma das primeiras considerações a serem feitas é que essa doença costuma ser facilmente percebida por tutores com um olhar mais atento, já que existe uma notável (e às vezes drástica) mudança nos hábitos e comportamentos do gato deprimido.

Felinos domésticos com depressão tendem a comer e beber menos, fazer suas necessidades em locais diferentes do usual e a não se engajar em brincadeiras e atividades.

O problema é que todas essas características também podem sinalizar outras doenças, algumas de ordem física.

Outras características que ajudam na dúvida sobre como saber se o gato está com depressão incluem agitação, isolamento, comportamentos agressivos, lambidas excessivas, perda de pelo, excesso de sono e miados frequentes.

Quando todos (ou alguns) desses sintomas aparecem ao mesmo tempo, a situação requer ajuda profissional.

É de extrema importância que tutores levem bichos de estimação com as características acima a um consultório veterinário para descartar outras condições. É preciso observar também que alguns animais possuem personalidades quietas, o que nem sempre indica depressão.

 

Quais são as causas da depressão em gatos?

Elas são múltiplas, o que significa que, na maioria das vezes, descobrir o exato motivo da condição pode ser um pouco difícil, mas é fator importante quando ensinamos como saber se o gato está com depressão.

Os primeiros pontos a serem observados pelos tutores são as mudanças que podem ter ocorrido na rotina do animal.

Mudança de casa, introdução de um novo animal doméstico, alteração da comida habitual, ausência temporária ou permanente de uma pessoa a quem o gato é apegado, acidentes e barulhos repetitivos ou excessivos são algumas das principais causas de depressão em felinos.

Uma troca de ração, por exemplo, é algo aparentemente insignificante, mas que pode ter impacto no comportamento, saúde psicológica e qualidade de vida do animal doméstico. Esteja atento!

 

Existe tratamento?

Depois de você aprender como saber se o gato está com depressão, caso precise de ajuda para cuidar do animal, saiba que, a partir do diagnóstico feito por um profissional da área veterinária, cabe ao tutor colocar em prática as mudanças relacionadas ao tratamento da condição.

Naturalmente, isso só é possível quando a causa exata da mudança de comportamento é descoberta.

Caso o gatilho para a depressão do gato seja algo fácil de ser resolvido (como no exemplo citado anteriormente, da mudança de uma ração), o tratamento se inicia aí. Se a situação for definitiva (como o falecimento de um ente querido), são necessárias outras abordagens.

Duas das principais soluções indicadas por veterinários são o aumento de estímulos (na forma de uma companhia mais frequente e introdução de atividades) e a administração de medicamentos.

Tudo isso, é claro, considerando as particularidades de cada animal.

O que fazer se o meu gato apresentar os sintomas de depressão?

Após ler aqui como saber se o gato está com depressão, é tarefa dos tutores observar qualquer alteração inicial no comportamento do animal, já que a doença possui variações. A partir disso, cuidados veterinários devem ser buscados.

Dois gatos podem agir da mesma forma por motivos distintos, nem sempre se tratando de doença.

Caso as atitudes do seu gatinho estejam diferentes do que é habitual, o próximo passo é levá-lo a um veterinário e relatar todas as mudanças observadas.

A partir desse cenário, o profissional fará algumas perguntas e realizará testes clínicos para chegar a um diagnóstico.

Em alguns casos, após entender como saber se o gato está com depressão, o veterinário precisará verificar se os sintomas são causados por outra doença, o que significa que tratar uma delas resolve a condição subjacente.

Como é possível perceber, ao contrário da depressão humana, essa condição psicológica nos gatos é consideravelmente mais simples de ser manejada. Acima de tudo, é preciso que tutores observem seus animais domésticos com atenção e busquem ajuda profissional.

Com preocupação e carinho, o quadro dessa doença pode ser resolvido. A partir do diagnóstico formal obtido em um consultório, os tutores devem se esforçar para mudar hábitos, adaptando o cotidiano em busca de uma melhor qualidade de vida para o seu companheiro.

Você acha que seu gato está deprimido? Agende uma consulta veterinária! Nossos veterinários vão fazer todos os exames para apresentar o diagnóstico correto e possíveis tratamentos.

Somos a Rede DOK. Temos hospitais veterinários nas principais cidades do Brasil. Nossos profissionais atuam para promover o bem-estar e preservar a saúde do seu amigão. Veja as especialidades veterinárias atendidas!

Confira outras postagens

Você já cuidou dos olhos do seu pet hoje? Conheça a importância da Oftalmologia

A saúde ocular dos animais de estimação é frequentemente negligenciada, pois muitos deles, mesmo cegos de um olho, não demonstram sinais visíveis e se adaptam bem ao ambiente. Por isso, é comum que tutores não percebam a cegueira parcial ou outros problemas oculares em seus pets. Importância da consulta Oftalmológica Consultas oftalmológicas regulares são essenciais […]

LER MATÉRIA

Dilofilariose Canina: Conheça os sintomas, tratamentos e prevenção!

A Dilofilariose Canina é um verme que se aloja no coração dos cães parasitados. Os parasitas formam grumos, levando ao aumento da câmara cardíaca do animal, resultando em um problema cardíaco. Como acontece a infecção? Assim como a maioria dos filarídeos, os membros desse gênero necessitam de hospedeiro intermediário artrópode (mosquitos) para a realização do […]

LER MATÉRIA

Hemodiálise para pets? Vem saber mais!

A medicina veterinária tem registrado avanços nos últimos anos, e os tratamentos inovadores para diversas condições têm proporcionado cada vez mais qualidade de vida aos pacientes pets. Um desses progressos é a hemodiálise. Mas o que é Hemodiálise? Os rins funcionam como um filtro natural do corpo, eliminando substâncias indesejadas e regulando os níveis de […]

LER MATÉRIA