Início > Blog > Quais são as três primeiras vacinas para o cachorro?

Quais são as três primeiras vacinas para o cachorro?

Quais são as 3 primeiras vacinas para cachorro

Conhecer e entender a importância de manter o esquema de imunização sempre em dia é fundamental para protegê-lo contra doenças.

Quando os cãezinhos nascem, assim como os bebês, são imunes a uma série de doenças graças aos anticorpos que recebem por meio do leite materno. Porém, essa imunidade passiva desaparece gradualmente. É aí que entra a importância de iniciar o esquema vacinal.

Se acabou de adotar um filhote (ou um cão mais velho, mas não conhece seu histórico), saber quais são as três primeiras vacinas para o cachorro é essencial para preservar a sua saúde e evitar o surgimento de novas doenças.

Por exemplo, este tipo de proteção vai reduzir os riscos de cinomose, parvovirose e hepatite canina. Além disso, a vacinação também deixará o cão adulto com seu sistema imunológico mais forte. Mas, não só isso!

Manter o esquema vacinal em dia é responsabilidade social, uma vez que protege a comunidade de cães contra a propagação de doenças contagiosas. Então, já se organize para proteger o seu animal doméstico.

Você está no blog da Rede DOK. Nossos hospitais veterinários contam com os profissionais mais qualificados para tratar bem dos pequenos animais. A nossa missão é transformar amor em cuidado!

Quais são as vacinas que os cachorros precisam?

Antes de mais nada, você sabe quais são as vacinas que precisa aplicar no cachorro ao longo da vida? Embora o calendário possa variar de acordo com a região, inicialmente, as principais doses que ele precisa receber são:

V8 ou V10: protege contra cinomose, adenovírus, parainfluenza, parvovirose, coronavirose, hepatite infecciosa canina e leptospirose;

Raiva: doença viral mortal que afeta tanto os cães quanto os humanos. A vacina é obrigatória em muitos países;

Giardíase: infecção parasitária intestinal que pode causar diarreia crônica em cães;

Parainfluenza e Bordetella: protege contra a tosse dos canis, também conhecida como traqueobronquite infecciosa canina, uma doença respiratória altamente contagiosa que pode ser causada por vários vírus e bactérias;

Leishmaniose: doença transmitida por mosquitos que afeta tanto os cães quanto os humanos e pode causar graves problemas de saúde.

As duas primeiras (V8 e V10) são chamadas de polivalentes, isto é, protegem contra sete doenças graves de uma vez só. Por isso, são as mais utilizadas nos protocolos de vacinação.

Não sabe quando levar o cachorro ao veterinário pela primeira vez? Descubra!

Entenda quais são as três primeiras vacinas para o cachorro

Ok, falamos bastante sobre as vacinas que devem ser aplicadas ao longo da vida do cãozinho. Mas, quais são as três primeiras? E quando ele deve recebê-las?

A princípio, é obrigatório iniciar o esquema vacinal pelas polivalentes, ou seja, V6, V8 ou V10, conforme o número de doenças contra as quais protegem. A recomendação é de que a primeira dose seja aplicada até os dois meses de idade. Em seguida, o reforço até os três meses e, por fim, a terceira dose, até o quarto mês de vida.

Além das polivalentes, o animal precisa receber também a antirrábica, logo às 12 semanas de vida. Ou seja, no primeiro aninho, essa vacinação toda precisa ser completa.

Esteja atento. O doguinho pode sair para passear com tranquilidade após estas três primeiras vacinas.

Não é porque deu as vacinas no primeiro ano que deve esquecer delas, hein? Esse esquema vacinal precisa ser reforçado anualmente, sempre mediante o acompanhamento do médico veterinário.

Descubra como deixar o cachorro feliz

O cachorro passa mal após tomar a vacina?

Inicialmente, ao descobrir quais são as três primeiras vacinas para o cachorro é comum que surja uma dúvida se elas podem fazer o animal ter alguma reação. Saiba que elas são seguras e servem para protegê-lo. Entretanto, como qualquer medicamento, podem ter efeitos colaterais.

Os efeitos mais comuns incluem febre, letargia, falta de apetite e dor no local da injeção. Contudo, estes sintomas geralmente desaparecem em um ou dois dias.

Por outro lado, somente em casos raros, ocorrem reações mais graves, como anafilaxia, isto é, uma reação alérgica grave. Logo, se o seu cachorro apresentar quaisquer sintomas incomuns após receber uma vacina, como inchaço excessivo, dificuldade para respirar ou sinais de dor intensa, procure imediatamente um veterinário para avaliação e tratamento.

Porém, frisamos que este tipo de reação mais grave é rara e os benefícios trazidos pela vacinação superam tais riscos. De qualquer forma, o ideal é seguir o calendário vacinal proposto, bem como administrá-lo com um médico veterinário de confiança.

Em resumo, depois de entender  quais são as três primeiras vacinas para o cachorro, saiba que é altamente recomendado que todas as doses sejam aplicadas por veterinário, principalmente no caso dos filhotes. Deste modo, o profissional vai acompanhar o calendário e garantir que o animal receba todas as proteções necessárias.

Este ato de amor vai blindar tanto o seu pet quanto a comunidade em geral contra doenças potencialmente perigosas.

Aproveite a próxima consulta veterinária para solicitar a criação do calendário vacinal do seu felino. Este tipo de atitude traz vários benefícios para a saúde dele e o profissional poderá eliminar todas as suas dúvidas.

Confira outras postagens

O que fazer quando o gato esta gripado

O que fazer quando o gato está gripado? Entenda as causas e cuidados

Seu gato está gripado e você não sabe o que fazer? Confira 7 cuidados importantes para uma melhora rápida do seu animal de estimação!

LER MATÉRIA
O que perguntar ao veterinário na primeira consulta

O que perguntar ao veterinário na primeira consulta? Veja nossas dicas!

Vai levar o seu pet para a primeira consulta veterinária? Confira 9 dicas e saiba o que perguntar ao veterinário na primeira visita!

LER MATÉRIA
O que fazer quando o gato está babando

O que fazer quando o gato está babando? Veja algumas dicas

Seu gato está babando e você não sabe o que fazer? Confira quais são os principais diagnósticos e tratamentos associados a essa patologia!

LER MATÉRIA